Sem tentar negociar anistia das dívidas, CEA diz que privatização é inevitável

A diretoria da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) esteve presente no plenário da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), para esclarecer os deputados quanto à necessidade de “tentativa” de privatizar a companhia, o que deve ocorrer até fevereiro do ano que vem. As explicações feitas pelo presidente da companhia, Marcelino da Cunha Machado Neto, foram tidas como complexas e pouco esclarecedoras para tão pouco tempo de debate, que durou pouco mais de duas horas, acontecido na manhã desta terça-feira, 11.