Paulo Lemos cobra do GEA publicidade das obras da Duca Serra

DEPUTADO PAULO LEMOS - FOTO JACIGUARA CRUZ-ALAP
“Não sabemos, sequer, se alguma empresa foi licitada para executar as obras de duplicação da Rodovia Duca Serra (…) É preciso dar publicidade”, Paulo Lemos, líder da oposição do GEA na Alap

O líder da oposição ao governo na Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), deputado Paulo Lemos, cobrou publicidade e transparência do Executivo quanto aos gastos, cronogramas e técnicos responsáveis pela execução das obras de duplicação da Rodovia Duca Serra, na zona leste de Macapá. O pronunciamento foi feito na sessão desta quarta-feira, 28, na Alap, que ocupa provisoriamente o prédio do Centro de Convenções João de Azevedo Picanço.

“Reconheço a importância daquela obra, pois vai mudar a vida dos moradores e de quem precisa usar a rodovia diariamente, mas é de obrigação expor as informações em relação ao custo de execução, assim como prazo para entrega. Não sabemos, sequer, se houve licitação para contratar empresa que presta o serviço”, cobrou Lemos.

O deputado criticou ainda que a obra, embora necessária, encontra-se com a iluminação da estrada bastante prejudicada, pondo em risco a vida de pedestres e motoristas. Lemos chegou a sugerir que outros projetos semelhantes sejam desenvolvidos em parceria com a Prefeitura de Macapá, para poder trabalhar mediante convênio, como iluminação púbica e a sinalização, uma vez que a Duca Serra corta diversos bairros da capital.

Lider do GEA - DR Furlan

“O risco de acidente é muito grande por conta da falta de iluminação e dos desvios necessários para realização do trabalho”, alertou. O líder do governo na Alap, deputado Dr. Furlan, disse que cobrará a publicidade do Executivo em relação às informações da obra. O parlamentar chegou a elogiar Lemos pela cobrança. “Sem dúvida, o senhor é um dos mais responsáveis líderes da oposição que esta Casa já teve”.

A Rodovia Duca Serra é uma das principais vias de acessos de Macapá aos municípios da região metropolitana, como Santana e Mazagão, além de cortar alguns bairros da capital, a exemplo do Cabralzinho e Marabaixo.

 

Júnior Nery – Ascom/Paulo Lemos
Jornalista (DRT 343-AP)
Foto: Jaciguara Cruz/Alap  

 

Foto: Jaciguara Cruz-Alap