Líder da oposição pede união de políticos e poderes para tratar sobre Plano Collor no STF

Servidores públicos da União à disposição do estado do Amapá estão na expectativa para o julgamento do recurso extraordinário, que corre no Supremo Tribunal Federal (STF), quanto ao Plano Collor. O deputado Paulo Lemos (PSOL) exigiu empenho das lideranças políticas do estado, bem como dos representantes dos Poderes e do Ministério Público, para providenciar audiência com a ministra-presidente do STF, Carmem Lúcia, para garantir dela possível voto de minerva, considerando que a votação está empatada em 5×5.

“É importante que nossos senadores e deputados federais, além do governador Waldez Góes, os prefeitos de Macapá e Santana, e representantes do Judiciário e do Ministério Público, ou seja, todos que serão beneficiados com os incrementos desses recursos na economia local, unam-se nessa luta para aliviar a sociedade da crise econômica que assola o Amapá”, ressaltou Lemos.

O pronunciamento do deputado ocorreu na última quinta-feira, 19, no plenário da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), e a atitude ganhou apoio imediato dos deputados presentes no plenário, que garantiram articular com seus aliados sobre essa demanda. O julgamento no STF deve acontecer na próxima quinta-feira 26.
A medida provisória assinada pelo então presidente Fernando Collor de Melo congelou, em 1990, os investimentos nas cadernetas de poupança, o que provocou enorme prejuízo financeiro à população.

“Muitos cidadãos aguardam há décadas por esse ressarcimento. É preciso, portanto, a união de todos neste momento, em prol da população e do estado, já que os recursos devem injetar milhões em nossa economia. É preciso que todos se engajem: Deputados Federais, Senadores, o próprio senador Sarney, que tem reconhecida força no planalto central. O governador Waldez; nosso presidente Kaká Barbosa [Alap] e demais representes de todos os Poderes”, rogou Lemos.

Em entrevista em um programa de cunho jurídico, na manhã sábado, 21, Lemos acompanhou a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (Sinsepeap), Kátia Cilene, e o advogado da ação, Antônio Cabral, para buscar apoio a esta demanda. Os senadores Randolfe Rodrigues e e Davi Alcolumbre afirmaram que trabalham para marcar a audiência com a ministra.

Júnior Nery – Ascom/Paulo Lemos
Jornalista (DRT 343/AP)
Anúncios