Questões de conhecimentos específicos sobre o Amapá podem ser obrigatórias em concursos no Estado

O plenário da Assembleia legislativa do Amapá (Alap) leu, nesta quinta-feira, 1º, o Projeto de Lei de No. 0117/17, de autoria do deputado Paulo Lemos (PSOL), que insere nos editais de concurso público realizados no Amapá, questões específicas sobre o Estado. O PL segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça e, depois, volta à pauta para nova apreciação e processo de final aprovação. Caso aprovado, seguirá para sanção ou veto do governador Waldez Góes.

DEPUTADO PAULO LEMOS_FOTO-OZIEL COUTINHO
“A Lei será importante, principalmente, para qualificar os que vêm de outros estados para concorre à vaga”, deputado Paulo Lemos

Lemos espera que a matéria seja aprovada e que já sejam incluídas as exigências já nos concursos público previstos do Governo do Amapá para as polícias Civil e Militar. O deputado garante que a proposta não tem cunho bairrista, até porque não sou daqui, mas o propósito maior é valorização do conhecimento local, sobretudo, atende a uma demanda popular dos amapaenses.

“A Lei será importante, principalmente, para qualificar os que vêm de outros estados para concorre à vaga; que passem a conhecer melhor a nossa história, cultura, geografia e economia, pois só assim, conseguirão aplicar na prática as questões locais que envolvem a função do funcionalismo público estadual”, justifica.

O PL propõe que 20% das questões da prova dos concursos sejam referentes a informações locais, de conhecimento sobre a realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do Amapá. Lemos enfatiza que esta não seja uma obrigação somente aplicada nos certames promovidos pelo Executivo Estadual, mas também a qualquer concurso público realizado em território amapaense, tanto na esfera estadual quanto municipal da administração pública direta e indireta.

O vereador de Macapá, Caetano Bentes (PSC), elogiou em uma rede social a Proposta de Lei  do deputado Paulo Lemos e propôs iniciativa semelhante no contexto municipal. Bentes concorda que é necessário aos candidatos de outros estados terem conhecimento sobre a história e cultura amapaense.

Júnior Nery – Ascom/Paulo Lemos

FOTO: Josiel Coutinho